search

Textos Básicos de Direito do Mar

20,95 €
18,85 € Poupe 10%
Com IVA ENVIO EM 2 A 3 DIAS ÚTEIS
Quantidade

  PAGAMENTO SEGURO

Pagamentos seguros e geridos diretamente pelos bancos. Multibanco, MBWay e Paypal disponíveis.

  EXPEDIÇÃO GRATUITA A PARTIR DE 25€

Em encomendas de valor superior a 25,00€ | Entregas em 2 a 3 dias úteis

  APOIO AO CLIENTE

Estamos disponíveis para esclarecer todas as suas dúvidas.

NOTAS DE APRESENTAÇÃO

Volvidos quase dez anos sobre a data da publicação da 1ª edição dos "Textos Básicos de Direito do Mar", acedemos com muito gosto ao pedido que nos foi dirigido pela Direcção da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa no sentido de prepararmos uma sua segunda edição.
Esta última década foi muito frutuosa em termos de evolução da situação do Direito do Mar, tendo sido justamente neste período — particularmente em 16 de Dezembro de 1994 - que entrou em vigor na ordem internacional a Convenção das Nações sobre o Direito do Mar (CNUDM), de 10 de Dezembro de 1982.
Foi também nesta última década — em 28 de Julho de 1994 — , na sequência de um longo e complexo processo de consultas informais entre Estados, que foi adoptado o Acordo Relativo à Aplicação da Parte XI da CNUDM, entrando este em vigor dois anos mais tarde, em 28 de Julho de 1996.
Para além disto, é de referir que foi nesta última década que Portugal fez depositar, em 3 de Novembro de 1997, o instrumento de ratificação da CNUDM e do Acordo relativo à aplicação da Parte XI desta Convenção. E estes instrumentos jurídicos convencionais entraram em vigor relativamente a Portugal em 3 de Dezembro de 1997.
Apenas ficou a fazer falta, entretanto, a nível nacional, uma reforma geral da legislação sobre aspectos relevantes para o Direito do Mar, maxime sobre delimitação de espaços marítimos. E aguardam-se os estudos nacionais sobre a possibilidade de alargamento dos limites da nova plataforma continental para além das 200 milhas náuticas ou, em qualquer caso, relativos à definição rigorosa dos limites da nossa plataforma continental, nos termos do que logo fora previsto na Resoluto do Conselho de Ministros nº 90 /98 (DR, I-B de 10 de Julho de 1998).
Nesta ordem de considerações temos que, no quadro desta Colectânea, substantivamente, a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar e o citado Acordo relativo à sua Parte XI passam a ter um valor de referência decisivo. Por isso, contrariamente ao que fizéramos na 1ª edição, os respectivos textos são agora publicados na íntegra, com os seus anexos, tendo-se optado naturalmente pela publicação da versão portuguesa a que se referiram os instrumentos de vinculação do Estado português, em detrimento da versão que foi publicada em anexo à Decisão n° 98/392/CE do Conselho da União Europeia e sem prejuízo das poucas diferenças que separam essas duas versões. Mais: publicam-se agora os instrumentos de aprovação e ratificação por Portugal da CNUDM, dos quais constam, aliás, as declarações feitas por Portugal relativamente à Convenção.
Mantemos nesta Colectânea, no entanto, a publicação das Convenções de Genebra sobre o Direito do Mar, de 29 de Abril de 1958, por a sua vigência não ter ficado precludida pela entrada em vigor, em geral e quanto a Portugal, da CNUDM. Nos termos do disposto no seu artigo 311º, a CNUDM prevalece, nas relações entre os Estados Partes, sobre aquelas Convenções de Genebra, mas apenas na medida em que a disciplina nelas contida não seja concordante. Assim só razões de ordem cronológica justificam que essas Convenções de Genebra surjam nesta Colectânea em primeiro lugar.
Quanto aos diplomas normativos nacionais eles são basicamente os mesmos que já constavam da 1a edição, tendo-se apenas em conta as alterações constitucionais muito pontualmente verificadas quanto à matéria em questão.
Concluímos esta nota fazendo votos de que esta Colectânea possa vir a servir de instrumento útil de trabalho para os que se interessam pelo Direito do Mar e que a leitura dos textos aqui publicados se divulgue tanto quanto possível para que assim também se divulgue cada vez mais, entre nós, o interesse por este ramo do Direito que, por todas as razões, deveria ser particularmente caro aos juristas portugueses.

Agradecemos aos serviços editoriais da Associação Académica da Faculdade de Direitos de Lisboa a diligência e o esforço postos na publicação desta 2ª edição desta Colectânea.



Lisboa, 4 de Abril de 2000

A. d'O.M.

5606939001696

Ficha informativa

Editor
AAFDL EDITORA
Autor(es)
Afonso d'Oliveira Martins
Páginas
458
Local de Edição
Lisboa (2000)

Este website utiliza Cookies

Ao clicar em "Aceitar todos os cookies", concorda com o armazenamento de cookies no seu dispositivo para melhorar a navegação no site, analisar a utilização do site e ajudar nas nossas iniciativas de marketing.

Cookies necessários
Os cookies necessários ajudam a tornar um website útil, permitindo funções básicas, como a navegação e o acesso à página para proteger áreas do website. O website pode não funcionar corretamente sem estes cookies.
Nome do cookie Fornecedor Objetivo Termo
PHP_SESSID dev.livraria.aafdl.pt Este cookie é nativo do PHP e permite que sites armazenem dados de estado serializados. Ele é usado para estabelecer uma sessão de usuário e para passar dados de estado por meio de um cookie temporário, comumente referido como um cookie de sessão. Sessão
PrestaShop-# dev.livraria.aafdl.pt Este cookie ajuda a manter as sessões do usuário abertas enquanto eles estão visitando um site, e os ajuda a fazer pedidos e muitas outras operações, como: data de adição do cookie, idioma selecionado, moeda usada, última categoria de produto visitada, produtos vistos pela última vez, identificação do cliente, nome, nome, senha criptografada, e-mail vinculado à conta, identificação do carrinho de compras. 480 horas
rc::a Google Este cookie é usado para distinguir humanos de robôs. Isso é benéfico para o site criar relatórios válidos sobre o uso de seu site. Persistente
rc::c Google Este cookie é usado para distinguir entre humanos e bots. Persistente
Cookies de desempenho
Cookies usados especificamente para coletar dados sobre como os visitantes usam um site, quais páginas de um site são visitadas com mais frequência ou se eles recebem mensagens de erro em páginas da web. Esses cookies monitoram apenas o desempenho do site à medida que o usuário interage com ele. Esses cookies não coletam informações identificáveis sobre os visitantes, o que significa que todos os dados coletados são anônimos e usados apenas para melhorar a funcionalidade de um site.
Cookies de estatística
Os cookies de estatística ajudam os proprietários de websites a entenderem como os visitantes interagem com os websites, recolhendo e divulgando informações de forma anónima.
Nome do cookie Fornecedor Objetivo Termo
collect Google Ele é usado para enviar dados ao Google Analytics sobre o dispositivo do visitante e seu comportamento. Rastreie o visitante em dispositivos e canais de marketing. Sessão
r/collect Google Ele é usado para enviar dados ao Google Analytics sobre o dispositivo do visitante e seu comportamento. Rastreie o visitante em dispositivos e canais de marketing. Sessão
_ga Google Registra um ID exclusivo que é usado para gerar dados estatísticos sobre como o visitante usa o site. 2 anos
_gat Google Usado pelo Google Analytics para controlar a taxa de solicitação 1 dia
_gat_gtag_UA_* Google Usado para controlar a taxa de solicitação. 1 minuto
_gd# Google Este é um cookie de sessão do Google Analytics usado para gerar dados estatísticos sobre como você usa o site, que são removidos quando você fecha o navegador. Sessão
_gid Google Registra um ID exclusivo que é usado para gerar dados estatísticos sobre como o visitante usa o site. 1 dia
Cookies de marketing
Os cookies de marketing são utilizados para seguir os visitantes pelos websites. A intenção é exibir anúncios que sejam relevantes e apelativos para o utilizador individual e, logo, mais valiosos para os editores e anunciantes independentes.
Nome do cookie Fornecedor Objetivo Termo
ads/ga-audiences Google Esses cookies são usados pelo Google AdWords para reconquistar visitantes que provavelmente se converterão em clientes com base no comportamento online do visitante nos sites. Sessão
fr Facebook Usado pelo Facebook para entregar uma série de produtos de publicidade, como lances em tempo real de anunciantes terceiros. 3 meses
NID Google Registra um ID exclusivo que identifica o dispositivo de um usuário recorrente. O ID é usado para anúncios direcionados. 6 meses
tr Facebook Usado pelo Facebook para entregar uma série de produtos de publicidade, como lances em tempo real de anunciantes terceiros. Sessão
VISITOR_INFO1_LIVE youtube.com Tenta estimar a largura de banda dos usuários em páginas com vídeos integrados do YouTube. 179 dias
YSC youtube.com Registra um ID único para manter estatísticas de quais vídeos do YouTube o usuário viu. Sessão
yt-remote-cast-installed youtube.com Armazena as preferências do player de vídeo do usuário usando o vídeo do YouTube incorporado. Sessão
yt-remote-connected-devices youtube.com Armazena as preferências do player de vídeo do usuário usando o vídeo do YouTube incorporado. Persistente
yt-remote-device-id youtube.com Armazena as preferências do player de vídeo do usuário usando o vídeo do YouTube incorporado. Persistente
yt-remote-fast-check-period youtube.com Armazena as preferências do player de vídeo do usuário usando o vídeo do YouTube incorporado. Sessão
yt-remote-session-app youtube.com Armazena as preferências do player de vídeo do usuário usando o vídeo do YouTube incorporado. Sessão
yt-remote-session-name youtube.com Armazena as preferências do player de vídeo do usuário usando o vídeo do YouTube incorporado. Sessão
_fbp Facebook Usado pelo Facebook para entregar uma série de produtos de publicidade, como lances em tempo real de anunciantes terceiros. 3 meses
Cookies de preferência
Os cookies de preferência permitem que um website memorize as informações que mudam o comportamento ou o aspeto do website, como o seu idioma preferido ou a região em que se você encontra.
Conteúdo não disponível