Pessoa e Trabalho no Direito Português (1750-1878): Escravo, Liberto e Serviçal
search
  • Pessoa e Trabalho no Direito Português (1750-1878): Escravo, Liberto e Serviçal

Pessoa e Trabalho no Direito Português (1750-1878): Escravo, Liberto e Serviçal

€40.00
€36.00 Save 10%
VAT included
Quantity

  SAFE PAYMENT

Secure payments directly managed by banks. ATM, MBWay and Paypal available.

  FREE SHIPPING FROM 25€

On orders over €25.00 | Delivery in 2 to 3 working days

  CUSTOMER SUPPORT

We are available to clarify all your doubts.

Nota Prévia

Serve a presente para um breve esclarecimento sobre alguns aspectosr elativos à elaboração do texto. Em primeiro lugar, quanto à transcrição de textos os antigos, dada a diversidade de fontes - em especial dos textos normativos - optei por manter por completo a versão da fonte utilizada, com alterações mínimas: respeito pela ortografia original, adaptando o uso de letras maiúsculas aos  critérios actuais mas apenas quando o mesmo resulte de uma opção estilística/estética no texto original; separação ou junção de palavras de acordo com os critérios actuais e desenvolvimento de abreviaturas (com indicação respectiva) para facilitar a leitura.

Para os diplomas de Direito antigo, utilizei sobretudo as Colecções de legislação, citando apenas a partir da fonte manuscrita quando não foi possível localizar o texto publicado e, residualmente, através de transcrições actuais quando a consulta do documento original não foi exequível (por exemplo, quanto aos arquivos brasileiros). Evitei, na medida do possível, o recurso exclusivo a índices remissivos, optando pelas obras que contêm a versão integral do texto transcrito.

Para os textos normativos contemporâneos, posteriores a 1820, recorri preferencialmente à versão publicada nos jornais oficiais (Diário do Governo/ Diário de Lisboa e Boletins Oficiais dos territórios ultramarinos) ou, na falta de publicação, à Colecção Official de Legislação Portuguesa (aqui assim designada por uma questão de comodidade, dadas as suas várias designações ao longo dos anos). Só de forma muito residual, na impossibilidade de encontrar os diplomas nestes periódicos, me socorri de transcrições de outra natureza e, ainda assim, preferindo também sempre a transcrição integral à mera referência ou sumário.

Quanto ao uso de palavras ou expressões latinas, tentei seguir o seguinte critério: as palavras são usadas no nominativo, independentemente da sua função específica na oração, no singular ou no plural consoante o sentido e, se acompanhadas por artigo ou adjectivo em português, estes são colocados no feminino ou no masculino consoante o género da palavra na nossa língua, em especial se a palavra latina é neutra, para tornar mais fácil a leitura. Esta regra é obviamente afastada quando são usadas expressões completas, reproduzidas de forma integral, ou palavras antecedidas de preposição em latim, em que a declinação é a "exigida" pela mesma.
Não foram adoptadas as novas regras que impõe o acordo ortográfico. Para lá do esforço impossível de rever todo o texto, elaborado já desde 2006, à luz dessas regras (uma vez que a correcção automática é de inexequível aplicação, dada a quantidade de trechos em português antigo inseridos), acresce a discordância profunda com a imposição de uma forma de redacção que é estranha ao evoluir da própria língua portuguesa, com critérios de uniformização que ignoram — ou, melhor, esmagam — a diversidade da mesma.

Quanto à citação de Autores de língua diferente, optei preferencialmente e para não deturpar o sentido, por transcrição na língua original mas sempre em nota de rodapé, excepto quando no corpo do texto se considerou adequado o uso de um termo ou de uma expressão curta na sua forma original. Salvo nestes casos, sempre que no corpo do texto se transcreveram esses Autores, optei por traduzir os termos ou expressões originais. Também foi necessário recorrer a traduções o mais avalizadas possível de textos em língua alemã. Nos restantes casos, optei, sempre que possível, por consultar a versão original, embora por vezes com o auxílio de uma edição portuguesa (tais situações estão sempre identificadas na bibliografia final).

5606939008633

Data sheet

Publisher
AAFDL | LISBON LAW EDITIONS
authors
Margarida Seixas
Reference
5606939008633
Pages
1012
Editing Place
Lisboa (2016)
Your cookie settings

This store asks you to accept cookies for performance, social media and advertising purposes. Social media and advertising cookies of third parties are used to offer you social media functionalities and personalized ads. Do you accept these cookies and the processing of personal data involved?

Necessary cookies
Necessary cookies help make a website usable by enabling basic functions like page navigation and access to secure areas of the website. The website cannot function properly without these cookies.
Cookie name Provider Purpose Expiry
PHP_SESSID dev.livraria.aafdl.pt This cookie is native to PHP and enables websites to store serialised state data. It is used to establish a user session and to pass state data via a temporary cookie, which is commonly referred to as a session cookie. Session
PrestaShop-# dev.livraria.aafdl.pt This cookie helps keep user sessions open while they are visiting a website, and help them make orders and many more operations such as: cookie add date, selected language, used currency, last product category visited, last seen products, client identification, name, first name, encrypted password, email linked to the account, shopping cart identification. 480 hours
rc::a Google This cookie is used to distinguish between humans and bots. This is beneficial for the website, in order to make valid reports on the use of their website. Persistent
rc::c Google This cookie is used to distinguish between humans and bots. Persistent
Marketing cookies
Marketing cookies are used to track visitors across websites. The intention is to display ads that are relevant and engaging for the individual user and thereby more valuable for publishers and third party advertisers.
Cookie name Provider Purpose Expiry
ads/ga-audiences Google These cookies are used by Google AdWords to re-engage visitors that are likely to convert to customers based on the visitor’s online behaviour across websites. Session
fr Facebook Used by Facebook to deliver a series of advertisement products such as real time bidding from third party advertisers. 3 months
NID Google Registers a unique ID that identifies a returning user's device. The ID is used for targeted ads. 6 months
tr Facebook Used by Facebook to deliver a series of advertisement products such as real time bidding from third party advertisers. Session
VISITOR_INFO1_LIVE youtube.com Tries to estimate the users' bandwidth on pages with integrated YouTube videos. 179 days
YSC youtube.com Registers a unique ID to keep statistics of what videos from YouTube the user has seen. Session
yt-remote-cast-installed youtube.com Stores the user's video player preferences using embedded YouTube video Session
yt-remote-connected-devices youtube.com Stores the user's video player preferences using embedded YouTube video Persistent
yt-remote-device-id youtube.com Stores the user's video player preferences using embedded YouTube video Persistent
yt-remote-fast-check-period youtube.com Stores the user's video player preferences using embedded YouTube video Session
yt-remote-session-app youtube.com Stores the user's video player preferences using embedded YouTube video Session
yt-remote-session-name youtube.com Stores the user's video player preferences using embedded YouTube video Session
_fbp Facebook Used by Facebook to deliver a series of advertisement products such as real time bidding from third party advertisers. 3 months
Performance cookies
Cookies used specifically for gathering data on how visitors use a website, which pages of a website are visited most often, or if they get error messages on web pages. These cookies monitor only the performance of the site as the user interacts with it. These cookies don’t collect identifiable information on visitors, which means all the data collected is anonymous and only used to improve the functionality of a website.
Preference cookies
Preference cookies enable a website to remember information that changes the way the website behaves or looks, like your preferred language or the region that you are in.
Statistic cookies
Statistic cookies help website owners to understand how visitors interact with websites by collecting and reporting information anonymously.
Cookie name Provider Purpose Expiry
collect Google It is used to send data to Google Analytics about the visitor's device and its behavior. Track the visitor across devices and marketing channels. Session
r/collect Google It is used to send data to Google Analytics about the visitor's device and its behavior. Track the visitor across devices and marketing channels. Session
_ga Google Registers a unique ID that is used to generate statistical data on how the visitor uses the website. 2 years
_gat Google Used by Google Analytics to throttle request rate 1 day
_gat_gtag_UA_* Google Used to throttle request rate. 1 minute
_gd# Google This is a Google Analytics Session cookie used to generate statistical data on how you use the website which is removed when you quit your browser. Session
_gid Google Registers a unique ID that is used to generate statistical data on how the visitor uses the website. 1 day
Content not available